info@massivedynamic.com +01 (414) 230 - 5550
Notas

Sempre que sentimos dor nas costas ficamos pensando que pode ter sido um mal jeito, uma dor muscular, um problema na coluna vertebral, mas não sempre é assim.

Pode acontecer que alguma disfunção em um órgão abdominal esteja enviando dor para as costas!

Pode ser desde simples gases no estômago provocados por engolir muito rápido, sintoma da ansiedade. Podem ser gases nos intestinos provocados por uma alimentação errada o por uma dificuldade para digerir, pode ser alguma intolerância à lactose ou ao glúten. Se nossa flora intestinal está enfraquecida pelo uso dos antibióticos pode ter como resultado um aumento das bactérias ruins que provocam um aumento dos gases.

Cólicas na vesícula biliar provocadas por pedras no seu interior costumam provocar muita dor e inclusive irradiar para outras partes do corpo, tórax, braços, e as costas.

A dor que produz a expulsão das pedras nos rins costuma ser descrita como uma das mais fortes sentidas no corpo, e costumam irradiar muita dor nas costas.

Porque isso acontece? Uma forma fácil de explicar seria que, os nervos que enviam a informação de dor desde os órgãos para a medula espinhal passam muito perto dos nervos que saem para os músculos das costas, e de alguma forma a informação da dor que chega “descarrega” essa informação de dor que acaba sendo percebida pelo nosso sistema nervoso como se fossem os músculos das costas.

Para mim, que trabalho com dor neuromuscular, estas dores viscerais as vezes podem me confundir e dificultar o diagnostico correto.

Este mês atendi uma paciente com muitas dores nas costas que de alguma forma se encaixavam nesta patologia. Depois de fazer a anamnese apareceram alguns sinais confusos que me levaram a pensar nesta possibilidade. Minha sugerencia para o paciente foi de consultar um medico e fazer também um exame de parasitos nas fezes. O resultado veio poucos dias depois, confirmado o exame, deu positivo para uma ameba chamada Giardia.

Como entre minhas ferramentas de tratamento está a Fitoterapia, consegui recomendar para ela uma mistura de ervas para fazer infusão.

Hortelã, Mastruz e Melão de São Caetano. Uma semana depois tinham desaparecido as amebas e as dores nas costas!!

E para aquela dor de pedras nos rins?

Aqui tem uma receita que funciona de forma infalível:

500 ml de água fervente

3 colheres de sopa de Chapeu de Couro

2 colheres de chá de açafrão

Tomar ao longo do dia

0

Notas
Recebo um paciente com luxação do ombro, o que eu faço?

Eu faço a manobra para colocaro ombro no lugar, ou não?

Eu sou um professor de Aikido, então de alguma forma ao longo do caminho acabei aprendendo a manobra para “colocar o ombro” no lugar e fiz isso algumas vezes! Por que eu digo isso?

Porque há um grande debate no nível médico sobre como proceder. Quando o ombro sai do lugar, ele arrasta consigo várias estruturas, ligamentos, fascias, nervos. Há aqueles que defendem o protocolo de espera para fazer uma ressonância antes de fazer a manobra que deve ser feito com anestesia geral. Seria o caminho mais seguro e conservador.

O problema é que geralmente o tempo de espera é longo e isso aumenta o risco de lesões. Mostra-se que quanto mais rápido a manobra for executada (e que tudo corre bem), mais rápido a recuperação do paciente … Depois, há aqueles que defendem o caminho mais curto.

Alguns anos atrás, recebi um paciente que já havia atendido com outros problemas. Desta vez, ele caiu na rua e “tirou o ombro” e me pediu desesperado para ajudá-lo. Eu pensei muito, e no último momento eu decidi não tocá-lo e enviá-lo para o hospital.

Resultado, tinha uma subluxação do ombro, mas também tinha uma fissura na clavícula. Se eu tivesse feito a manobra, teria sido um desastre!

Então, minha recomendação é ir ao hospital.
0

Notas
Esta semana recebi um cliente com cervicalgia difusa, ou seja, não houve bloqueio de nenhuma vértebra e não houve limitação de movimento.

Algo na leitura do seu corpo me fez perguntar se ele tinha Bruxismo, alguns poderiam chamar de intuição , mas é apenas a experiência de anos vendo pacientes através de suas dores.

Essa percepção me levou a iniciar o tratamento para a mandíbula. Deve ter me levado 30 minutos para liberar os Pontos Gatilho do Maseter em ambos lados quando eu pedi que ela movesse o pescoço para ver o quanto sua cervicalgia melhorara, e ela me diz que o alívio tinha sido de 100%.

Esta é uma experiência que acontece no consultório quase todas as semanas, alguns são como este caso no qual há um alivio completo, e outros, a grande maioria, nos quais há um alívio de mais de 50% da dor em cervicalgias difusas.

Quantas vezes ignoramos as PGs da mandíbula? Levou-me anos para chegar a esta descoberta, a grande importância das PGs do maxilar nas disfunções cervicais!

Podemos pensar que a origem de alguns bloqueios e hérnias começam lá?
5